Franca, 18 de Outubro de 2017

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

04/10/2017 - ‘‘Ide, pois, fazer discípulos’’ (Mt 28,19)


A igreja celebra no mês de outubro as missões. Convido o nosso leitor a refletir e a rezar essa dimensão fundamental na evangelização.
Evangelizar é uma palavra chave que resume toda ação de Jesus Cristo. Ele é o Messias, o Filho de Deus amado, o enviado do Pai, o servo e o mensageiro de Deus, anunciador do Reino.
Jesus enviou os discípulos: ‘‘Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos’’ (Mt 28, 18-20).
Na pessoa dos apóstolos, Jesus envia toda a Igreja a evangelizar. Ela continua a missão de Jesus. Evangelizar constitui a sua vocação. É parte integrante da sua identidade. Ela deve experimentar sempre a alegria de ser discípula missionária. A Igreja é enviada pelo seu fundador a todos os povos, como sacramento de salvação.
A Igreja destaca duas dimensões fundamentais de nossa vocação e seguimento de Jesus Cristo. São dois pilares de nossa espiritualidade: nossa consagração e missão. Somos ‘‘discípulos e missionários’’ de Jesus Cristo.
Ser discípulos é entrar em comunhão com o Senhor. Viver essa experiência é possuir a vida e ter a força nas dificuldades. Sem a comunhão com Deus a existência humana perde o sentido e o nosso coração torna-se inquieto. Sem a comunhão com Ele ficamos às escuras sobre sua Pessoa e sobre nós mesmos.
Somos também missionários de Jesus. Todo cristão é chamado a dar testemunho do Senhor e do seu Evangelho. É chamado a ser precursor de Cristo, ‘‘uma voz que grita no deserto do mundo, portador do Verbo, pregoeiro do seu Evangelho’’ (Missal cotidiano).
Duas indicações básicas para refletir no mês das Missões: nossa consagração ao Senhor e nosso apostolado;nossa amizade com Ele e nossa missão; nossa comunhão e nosso serviço. A vida espiritual brota da identificação com Cristo em seu ser e em sua missão apostólica. Todo batizado deveria ter esta convicção que a sua vocação tem o Senhor como centro e o seu apostolado como meta.

Dom Paulo Roberto Beloto,
Bispo Diocesano.