Franca, 11 de Dezembro de 2018

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

30/05/2018 - Corpus Christi – 2018


A Eucaristia tem uma relação estreita com o sacerdócio ministerial. São João Paulo II diz que são “dois sacramentos que nasceram juntos e cujas sortes estão indissoluvelmente ligadas até ao fim do mundo”. “Não existe Eucaristia sem sacerdócio – continua o Papa -, como não existe sacerdócio sem Eucaristia”. O padre é homem da Eucaristia. Nela ele encontra o seu refúgio e o seu melhor repouso. Daí que ele deve fazer da Missa o momento central do seu ministério.

Mas hoje eu quero pedir licença para os padres e aos consagrados e me dirigir a vocês, leigos e leigas, já que neste ano celebramos a sua presença, espiritualidade, vocação e missão.

A Igreja nos ensina que os leigos e leigas, pelo Batismo, foram consagrados a Deus e incorporados em Cristo Jesus. São chamados a ser Igreja viva, atuante no mundo, a fim de santificar a sociedade e todas as coisas passageiras desta terra, por meio de sua vida, levada conforme os princípios do Evangelho. Vocês são chamados a testemunhar a fé na comunidade eclesial, exercendo ministérios nas pastorais e nos movimentos, e assumir o compromisso com os valores e a proposta de Jesus Cristo na família, no trabalho, nos movimentos sociais, no mundo da política, na cultura, nas relações de vizinhança e de lazer e em todos os ambientes onde são conhecidos e reconhecidos.

Para viver plenamente essa vocação e missão, para ser sal e luz e assumir com fidelidade, entusiasmo e zelo apostólico os compromissos cristãos, vocês precisam de uma força maior: do alimento deixado por Jesus.

Por isso, as palavras do Papa se dirigem também a cada fiel leigo e leiga: Na Eucaristia vocês encontram o refúgio e o seu melhor repouso.

Na Missa, celebrada com fé, generosidade, disponibilidade e gratidão, vocês celebram a sua união com Jesus Cristo, com a Igreja e com os irmãos, encontram a força para as debilidades naturais da vida, crescem na graça e na obediência, na fortaleza, na esperança, no amor fraterno, João uniu Eucaristia ao gesto do lava-pés (Jo 13, 1-15). O lava-pés revela o que Deus é e faz: é um Deus servidor. Revela também o sentido da existência humana: enquanto criados no Verbo, somos servidores. Nossa missão é amar e servir. O cristão é aquele que segue o seu mestre Jesus, no amor e no serviço.

Vocês, cristãos leigos e leigas, são testemunhas vivas de que Deus continua amando a sua Igreja. São comunicadores de Jesus Cristo e do seu Evangelho. Precisam ser bons cristãos, apaixonados e entusiasmados por Jesus Cristo, por sua Igreja.

Façam da Eucaristia uma escola de santidade. Participem também das exposições ao Santíssimo Sacramento e façam visitas a Jesus eucarístico.

A celebração e a adoração da Eucaristia nos levam a abeirar-nos do amor de Deus e a Ele aderir. Quando nos unimos ao nosso bem-amado Senhor, toda a nossa realidade humana é transformada para a glória de Deus. A Missa é estímulo para o nosso caminho de santificação.

Vocês podem aprender com Maria, modelo de fé eucarística, que ofereceu o seu ventre virginal para a encarnação do Verbo. Quantas vigílias a Santa Mãe de Deus fez de companhia e veneração ao seu Filho?

No Santíssimo Sacramento, a Igreja se une plenamente a Cristo e ao seu sacrifício com o mesmo espírito de Maria. Recebemos o dom da Eucaristia, adoramos o Senhor, para que a nossa vida, à semelhança de Maria, seja toda ela um magnificat.

Dom Paulo Roberto Beloto,
Bispo de Franca – SP.