Franca, 13 de Dezembro de 2018

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

30/11/2018 - 1º Domingo do Advento – 2018


A igreja celebra ao longo do Ano Litúrgico o mistério de Jesus Cristo, Filho de Deus: sua vida, paixão, morte e ressurreição. O início do Ano Litúrgico é o Tempo do Advento, que vai desde as primeiras vésperas do domingo que cai no dia 30 de novembro ou no domingo que lhe fica mais próximo, até antes das primeiras vésperas do Natal do Senhor. São quatro semanas, onde a Igreja vive a espera de Jesus Cristo.

Quais são as motivações para esta espera ansiosa? A Encarnação do Verbo, o Natal de Jesus.

O Catecismo da Igreja Católica apresenta alguns pontos que respondem o porquê da encarnação do Verbo.

‘‘O Verbo se fez carne para nos salvar, reconciliando-nos com Deus’’ (CIC, 457).

Jesus veio para nos salvar. Ele é o nosso socorro, a nossa reconciliação, a nossa vida.

‘‘O Verbo se fez carne para que, assim, conhecêssemos o amor de Deus’’ (Idem, 458). O Amor de Deus é a coisa mais bela que temos e podemos oferecer. Em Deus que é amor encontramos a verdade da nossa vida, que ilumina e torna inteligível o nosso ser e o nosso caminho.

‘‘O Verbo se fez carne para ser nosso modelo de santidade’’ (Idem, 459). Jesus nos apresenta um caminho de santidade, que são as bem-aventuranças.

‘‘O Verbo se fez carne para nos tornar participantes da natureza divina’’ (Idem, 460). Entrando em comunhão com Jesus, recebemos dele a filiação divina e nos tornamos filhos adotivos de Deus.

Jesus é a vontade de Deus para nós. É a luz que ilumina a nossa existência. É a certeza do caminho certo, pois é caminho de amor, de perdão, de solidariedade e de paz.

O que a liturgia nos ensina no Tempo do Advento? A nos prepararmos bem para o Natal. Algumas atitudes importantes nessas semanas:1ª semana – vigilância: ‘‘Ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes de pé diante do Filho do Homem’’ (Lc 21,36). Vigiar é perceber a presença de Deus em nossa história e nossa vida.É procurar a vontade do Senhor. É perseverar no caminho do bem.

2ª semana – conversão: ‘‘Preparai o caminho Senhor, endireitai suas estradas. Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas e os caminhos acidentados serão aplainados. E todas as pessoas verão a salvação de Deus’’ (Lc 3,4b-6). A conversão é condição para celebrar o Natal. É acolher na fé a oferta de amor de Deus. Conversão é deixar-se guiar pela verdade que Jesus veio anunciar.

3ª semana – alegria: ‘‘Alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos’’ (Fl 4,4). Deus é a fonte da paz e da alegria. Jesus é a nossa alegria. Ficamos felizes com a sua encarnação, pois ela revela que Deus nos ama com um amor gratuito e generoso. O cristão é alegre por Jesus, por aquilo que ele faz, por sua obra de redenção.

4ª semana – obediência: ‘‘Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade’’ (Hb 10,7). Aprendemos com os tementes a Deus a virtude da obediência. Obedecer é acolher a vontade do Senhor, como fizeram José e Maria.

É preciso que aproveitemos o tempo de graça de nossa liturgia e nos preparamos bem para o Natal. O Senhor bate à porta de nosso coração e pede morada. O seu nascimento é garantia de paz, justiça, fraternidade e amor. Precisamos acolher com generosidade esta visita.


Dom Paulo Roberto Beloto,

Bispo Diocesano