Franca, 22 de Março de 2019

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

06/03/2019 - “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27)


Quaresma 2019


Estimados irmãos e irmãs,

com a celebração de hoje, estamos dando abertura a mais uma Quaresma, tempo litúrgico especial para a nossa espiritualidade, que se estende até à Missa da Ceia do Senhor, na Quinta-feira Santa. Fazendo este caminho – um verdadeiro retiro espiritual – iremos nos preparar para a Páscoa, celebração da paixão, morte e ressurreição de Cristo, fonte de nossa esperança.

As motivações que temos para fazer o itinerário da Quaresma são:

1 - A misericórdia e a bondade de Deus Pai, medida do amor, sempre pronto a nos perdoar e a nos oferecer a vida. A graça de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. A comunhão e a força do Espírito, derramado em nossos corações. Só na Trindade Santa a nossa alma tem repouso. A nossa glória e salvação estão em Deus.

2 - A grandeza da nossa vida: somos criados à imagem e semelhança de Deus, queridos e amados por Ele. A nossa existência é bela e deve ser assumida com intensidade, sabedoria e responsabilidade. Sou capazes de ordenar tudo para o amor, pois esta é a vontade de Deus a nosso respeito.

3 - A nossa fé: somos batizados e recebemos a graça de ser filhos adotivos do Pai (Gl 4,5-7), membros de Cristo (1Cor 6,15) e templos do Espírito Santo (1 Cor 6,19). Fomos inseridos na Igreja e fazemos parte do povo eleito de Deus.

Pela beleza, majestade e bondade de Deus, pela grandeza de nossa vida, pela nossa fé, iremos fazer esta experiência de encontro pessoal com Ele. É bom estar em tão boa companhia, pois quando vivemos uma intensa e íntima amizade com o Senhor da vida, quando celebramos o encontro de amor, estamos abertos e preparados para a fraternidade e a comunhão com os irmãos.

Quarenta dias celebram a Quaresma, marcados por uma liturgia penitencial, através de textos bíblicos, celebrações, orações, cantos, gestos concretos, de convite à conversão, com três práticas essenciais: o jejum, a esmola e a oração. Este preceito bíblico e acolhido pela tradição da Igreja, nos identifica mais com o Senhor, não como práticas aparentes ou apenas gestos exteriores, mas com uma sinceridade interior, que nos conduzem a uma verdadeira mudança de vida. É preciso sobriedade, equilíbrio e respeito à natureza, comunhão com o nosso Deus e caridade com os irmãos. Essa prática nos faz mais livres e prontos para servir.

O rito da bênção e imposição das cinzas lembram a nossa pequenez e a necessidade que temos de Deus e do seu perdão. É um convite a abertura do nosso coração ao arrependimento sincero e à graça do Senhor.

A Campanha da Fraternidade é um instrumento que nos ajuda a celebrar a Quaresma. É um precioso meio para a evangelização e um convite ao que Cristo nos pede.

Fraternidade e Políticas Públicas e, “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27), são o tema e o lema, respectivamente, da Campanha de 2019. Estamos diante de um assunto difícil, mas urgente e de um alcance sem medida para o nosso dia-a-dia. O objetivo geral da Campanha é: “estimular a participação em Políticas Públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais de fraternidade” (Texto-Base, página 18).

É bom lembrar que as Políticas Públicas não é só dever e obrigação do Estado. Mas também compromisso de toda a sociedade.O tema é complexo e merece a nossa participação, a formação, o esclarecimento e a consciência da sua importância.

A Igreja sempre enfatiza o direito e a justiça como condição para a paz e o bem comum, orientados pela caridade fraterna. Amor e justiça caminham de mãos dadas. Quem ama de coração é justo e solidário.

Um gesto concreto de solidariedade da Campanha é a oferta de doações em dinheiro, na coleta realizada no Domingo de Ramos, dia 14 de abril. A parte (60%) que permanece na Diocese é gerida pela Cáritas Diocesana, para atender às necessidades da equipe diocesana da Campanha da Fraternidade e projetos sociais de nossas paróquias.

Uma boa, santa e proveitosa quaresma para todos.


Dom Paulo Roberto Beloto,

Bispo Diocesano.