Franca, 21 de Novembro de 2017

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

11/02/2016 - A Evangelização e as Redes Sociais


O uso da internet tem crescido a cada dia, muitas pessoas, de todas as classes sociais, religiões e raças tem se enveredado por este “caminho virtual”. Tudo isto é reflexo da tão falada “democratização” do acesso à informação, onde num click, temos a nossa frente uma gama de link´s sobre o tema procurado.
 
O São “Google” nos oferece tudo que ele tem, é um “santo” muito generoso,  é melhor do que um cardápio de restaurante, é o verdadeiro “tem de tudo”, por isso, que precisamos verificar a qualidade da informação, se é verdadeiramente uma fonte segura, que respalde seu conteúdo. “Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se” (Mt 13, 25), o que isto significa? Que há outros semeadores neste campo! Na internet há muita coisa boa, proveitosa, evangelizadora, por outro lado, não faltam às coisas podres, fétidas, destruidores, que vão contra a família e a sã doutrina da Igreja. A internet quando não é utilizada de maneira sadia e cristã, ela se torna a verdadeira “Infernet”, que ao invés de nos aproximar do Senhor, nos afasta Dele.
 
O itinerário da Igreja a cerca da evangelização nas redes sociais está dando seus primeiros passos, ainda somos uma presença tímida e amadora neste mundo cibernético. Precisamos encarar este caminho realmente como um meio evangelizador, necessitamos de bons evangelizadores, que sejam comprometidos com a Causa do Evangelho e profissionais do ramo. A Fé e a Razão caminham juntas, isto significa que precisamos capacitar pessoas para este mundo virtual.  “A Fé e a razão (fides et ratio) constituem como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade. (CARTA ENCÍCLICA FIDES ET RATIO DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II) “A luz da razão e a luz da fé provêm ambas de Deus, por isso, não se podem contradizer entre si” (Santo Tomás de Aquino).
 
Não podemos negar que os nascidos nestes últimos anos são filhos de uma era digital, são os maiores desbravadores deste mundo que para muitos é desconhecido, por isso, que devemos apoiar e potencializar as iniciativas, não fazendo somente postagens de fotos e frases de efeito, mas algo simples, e, que, sobretudo, alimente quem está atrás das máquinas.  “Se a Boa Nova não for dada a conhecer também no ambiente digital, poderá ficar fora do alcance da experiência de muitos que consideram importante este espaço existencial” (Bento XVI).
 
A Igreja tem que dialogar com este mundo moderno-digital, deve travar uma relação estreita entre cultura e evangelização. Não adianta “estar” conectado nas redes sociais, é preciso “ser” um evangelizador conectado. O desejo de evangelizar tem que estar acima do desejo de se conectar. “Se o Evangelho não for proclamado no ambiente digital poderá ficar fora do alcance de muitos” (Bento XVI).
 
“A internet pode oferecer maiores possibilidades de encontro e de solidariedade entre todos” (Papa Francisco). Que o Espírito Santo “engravide” toda Comunicação Social-evangelizadora da Igreja com a pessoa de Jesus, para que este ambiente cibernético seja como o Poço de Jacó, lugar de encontro e ressureição.
 
Pe. Raphael Romão
Assessor Diocesano do Setor Juventude