Franca, 19 de Setembro de 2019

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

16/04/2019 - Semana Santa


Com o Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor, iniciamos a Semana Santa. Celebramos o mistério central da fé cristã. Nela se concretiza a razão da encarnação do Verbo: fez-se carne para salvar-nos reconciliando-nos com Deus.

O Catecismo da Igreja Católica afirma que “o mistério pascal da Cruz e da ressurreição de Cristo está no centro da Boa-Nova que os apóstolos, e a Igreja na esteira deles, devem anunciar ao mundo” (CIgC, 571).

Jesus é o Cordeiro imolado, inocente, sem mancha, que carrega os nossos pecados. Com sua vida, paixão, morte e ressurreição, Ele abriu o caminho de nossa comunhão com o Pai, tornando-nos verdadeiros filhos e filhas de Deus.

Fazemos memória da misericórdia redentora de nosso Pai, abraçada por Jesus: Ele nos deu a vida, amando-nos até o fim (Jo 13,1). A nossa salvação deriva da iniciativa deste amor de Deus.

Recordamos a entrada messiânica de Jesus em Jerusalém, seguimos com as cerimônias normais, de modo particular, com o Tríduo Pascal, ápice do Ano Litúrgico: Ceia do Senhor, Paixão e Vigília Pascal.

A Semana Santa nos convida a um profundo silêncio exterior e interior para penetrarmos no mistério do amor de Deus, interrompido somente na Vigília da Páscoa, quando cantamos com todo entusiasmo, esperança e alegria: “Aleluia!”.

O Domingo de Páscoa “é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117(118), 24).

Na riqueza da espiritualidade desses dias, deixemo-nos transformar por Jesus Cristo, através da cruz e da ressurreição, sendo fiéis à oração, à participação nas celebrações litúrgicas de nossas paróquias, de modo especial, no Tríduo Pascal.

“Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito” (Lc 23,46), gritou Jesus na cruz. A sua morte é a sua libertação nas mãos de Deus. Ela é resultado de sua humilde entrega, de sua obediência total e confiante. O Pai respondeu com a ressurreição do seu Filho (At 2,22-24; 3,15).

Também somos chamados a essa entrega confiante nas mãos de Deus: Ele é a nossa única esperança. É bom rezar, com Santo Inácio de Loyola, respondendo ao infinito amor de Deus:

“Tomai, Senhor e recebei toda a minha liberdade e a minha memória também, o meu entendimento e toda a minha vontade. Tudo o que tenho e possuo vós me destes com amor. Todos os bens que me destes, com gratidão vos devolvo. Disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade. Dai-me somente o vosso amor, vossa graça, isto me basta, nada mais quero pedir!”

Que o Espírito nos ajude a encontrar verdadeiramente a fé e que Ele nos dê a força de anunciar Cristo crucificado e ressuscitado e de testemunhá-lo no amor a Deus e ao próximo.

Uma boa Semana Santa para todos.


Dom Paulo Roberto Beloto,

Bispo de Franca – SP.