Franca, 21 de Julho de 2019

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Voltar

19/06/2019 - Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo


Estamos reunidos como Igreja para reviver o mistério da Quinta-feira Santa à luz da ressurreição. Queremos ser fiéis à dádiva do Cenáculo, ao grande milagre de amor.

A Eucaristia é dom de Deus, um presente que Jesus nos deixou para fazermos memória do seu amor, da entrega do seu corpo e sangue até o fim. É o alimento que nos sustenta.

Nós escolhemos Jesus como Caminho, Verdade e Vida: aliás, Ele nos escolheu para dar sentido a nossa vida, a nossa história e a nossa existência.

Jesus é o Caminho que devemos trilhar para entrar no mistério de Deus, que é nosso Pai. Ele nos encantou com a sua proposta.

Jesus nos deixou a Eucaristia como nosso alimento para celebrar a nossa comunhão com Ele e com os irmãos, para sustentar a nossa escolha e a nossa decisão.

A fé é dom de Deus. Mas precisamos cuidar dela. A Eucaristia, mistério da fé, é o nosso porto seguro. Não vamos abandonar esse amor. Não vamos abandonar a Jesus eucarístico, fonte de água viva, para “cavar cisternas furadas, que não retêm água” (Jr 2,13).

Temos sede de felicidade, de amor e de sentido. Se não buscamos Jesus, o único que pode nos dar “água viva”, acabamos por improvisar cisternas, ou buscar água em lugares ou coisas que não matam a nossa sede.

O que de fato preenche a minha vida? O que me faz feliz de verdade?

Hoje agradecemos a Deus pela Eucaristia. Mistério de nossa intimidade com Jesus. Hoje louvamos o Senhor com nossos gestos, enfeites, cantos e orações.

Na Quinta-feira Santa fazemos uma pequena procissão com o Santíssimo no interior da Igreja, no silêncio e adoração. Hoje retomamos a procissão de modo solene, publicamente, com exaltação e na alegria da ressurreição. Levamos Cristo presente no pão eucarístico pelas ruas e praças de nossas cidades. Confiamos o nosso povo, as nossas famílias, à bondade e misericórdia de Deus. Que Jesus seja a bênção que tanto precisamos. Que a Eucaristia nos ajude no seu seguimento.

Maria, modelo de fé eucarística, ofereceu o seu ventre virginal para a encarnação do Verbo. Quantas vigílias a Santa Mãe de Deus fez de companhia e veneração ao seu Filho? Que possamos nos unir a Cristo e ao seu sacrifício com o mesmo espírito de Maria. Recebendo o dom da Eucaristia, adoramos o Senhor, para que a nossa vida, à semelhança de Maria, seja toda ela um magnificat.

Dom Paulo Roberto Beloto,

Bispo Diocesano.