Franca, 13 de Novembro de 2018

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

Pastorais Sociais e Conselhos Diocesano de Leigos Promovem o Grito dos Excluidos no Desfile da Independencia e no Hallel 08/09/2018

Todo ano, a nível nacional, a Igreja Católica, através da CNBB, das pastorais e movimentos sociais e entidades da sociedade civil e sindicais, mobilizam-se no país inteiro para a manifestação popular do Grito dos Excluídos, que acontece desde 1995, que foi decorrente da Campanha da Fraternidade daquele ano, que teve como tema: "Fraternidade e os Excluídos" e lema: "Eras, ´tu, Senhor!", e também, decorrente da 2ª Semana Social Brasileira de 1994, que teve como tema: " Brasil, alternativas e protagonistas". Assim, desde aquela época, é realizado o Grito dos Excluídos com tema, lema, celebração roteirizada, hino e propostas de atos públicos e de manifestações populares.

Neste ano de 2018, o tema do Grito dos Excluídos escolhido, foi "A Vida em primeiro lugar" e lema: "Desigualdade gera violência: basta de privilégios!" O tema e o lema alertam a respeito dos abismo social que separa os poucos endinheirados em relação aos milhões de despossuídos. Somente 6 famílias brasileiras detêm uma renda equivalente a 100 milhões de pessoas no país, segundo estudo da OXFAN. Por isso, que grande camada da nossa sociedade vive sem direito à moradia, sem direito à alimentação adequada, sem direito a saúde, sem direito ao trabalho e sem direito à dignidade de vida. Enquanto houver pessoas que sejam excluídas da nossa sociedade, o Grito dos Excluídos sempre terá seu sentido e significado na sua realização.

Hoje, a violência mata mais de 62 mil pessoas por ano, que é um dado alarmante, superando países que estão em guerra civil na África e no Oriente Médio. E isso acontece porque há uma crescente barbárie de exploração em relação aos mais pobres por questão de erros nas políticas públicas de segurança. Geralmente, são os mais jovens, homens e negros que mais morrem no país nas periferias das grandes cidades brasileiras.

Papa Francisco, na sua denúncia profética na encíclica "Laudato, Sí!" (Louvado Seja!) e na exoração apostólica "Evangelii Gaudium" (Alegria do Evangelho) de que todo cristão deve tomar atitude e gestos de coragem de preservar a nossa Casa Comum (o Planeta), "construir pontes e não, muros" e de consolidar a "cultura da globalização da solidariedade" o que vai de encontro na proposta do Grito dos Excluídos, que tem os seguinte eixos: 1) Democratização dos Meios de Comunicação; 2) Preservação dos direitos à Vida e à Dignidade Humana e pelos direitos fundamentais e humanos de cada cidadão e de cada cidadã; 3) promoção de políticas públicas de superação da violência e promoção da Cultura da Paz; 4) projeto de Estado que sirva realmente à Nação nas suas aspirações e necessidades; 5) participação política e emancipação popular; 6) unir as generosidades e solidariedades nas ruas das cidades do país e no campo; 7) proteger a Mãe Terra, nossa casa comum.

E este ano de 2018, houve a união dos esforços do Conselho Diocesano de Leigos de Franca, Pastorais Sociais da Diocese de Franca (Pastoral do Menor, Pastoral da Educação e Pastoral da Sobriedade), Equipe Diocesana da Campanha da Fraternidade, Grupo Pastoral Fé, Política e Direitos Humanos e Pastoral da Promoção Humana da Paróquia Nossa Senhora Aparecida Capelinha realizarem atividades do Grito dos Excluídos 2018 no Desfile da Independência na cidade de Franca e no XXXI Hallel no Parque de Exposições Fernando Costa.

No dia 7 de setembro, as Pastorais Sociais e o Conselho de Leigos participaram no Desfile da Independência promovido pela Prefeitura de Franca na Avenida Presidente Vargas. Padre Ovídio e as crianças e adolescentes da Pastoral do Menor quem conduziram o bloco, juntamente com os demais.

No Hallel, o Conselho Diocesano de Leigos realizou as celebrações do Grito dos Excluídos no dia 7, às 16h00, no módulo da Comunidade Hodie, no dia 8, às 14h00, no módulo Divino Pai Eterno e no dia 9, às 14h30, no módulo de Maria. Nas celebrações, reportou-se a 1ª Carta de São Paulo aos Coríntios e ao Evangelho de Lucas, que devemos ser seguidores de Cristo e celebrar junto com ele sua presença no nosso meio. No salmo 37, entoou-se que a salvação vem dos justos do Senhor Deus Após a oração comunitária rezou-se o Pai-Nosso Ecumênico e a Oração do Ano Nacional do Laicato.

Neste ano, houve o apoio inédito ao Grito dos Excluídos, que foram as entidade ssindicais APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), ATRAF (Associação dos Trabalhadores de Franca) e Sindicato dos Frentistas de Franca e região, na produção de material gráfico do Grito em milhares de panfletos, que foram distribuídos no evento do Hallel e nas paróquias Catedral Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora das Graças e Nossa Senhora Aparecida Capelinha.

E na promoção do Ano Nacional do Laicato, leigos e leigas realizaram seu papel de ser sal da terra e luz do mundo, o mundo a transformar e a se realizar o projeto do Reino de Deus.

Lúcio Rangel - Conselho Diocesano de Leigos de Franca


Páginas:

1