Franca, 19 de Setembro de 2019

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

GRITO DOS EXCLUÍDOS 2019 07/09/2019

O Conselho Diocesano de Leigos de Franca e a Pastoral do Menor da Diocese de Franca organizaram no dia 7 de setembro de 2019, a mobilização das atividades do Grito dos Excluídos, 25ª edição nacional, na cidade de Franca, que teve como tema: “A vida em primeiro lugar” e lema: “Este sistema não vale: lutamos por justiça, direitos e liberdade”.

Inicialmente, de manhã, houve a participação no Desfile da Independência do Brasil na cidade de Franca, que a Pastoral do Menor estava definida na participação do referido desfile e convidou as Pastorais Sociais (Carcerária, Criança, Educação, Saúde, Sobriedade e dos Surdos), o Conselho Diocesano de Leigos, a Equipe Diocesana da Campanha da Fraternidade e a Cáritas Diocesana a estarem juntos com banners e simbologia do Grito como gesto concreto de manifestação.

À noite, às 19h00, houve a Missa Especial do Grito dos Excluídos com a liturgia do 23º Domingo do Tempo Comum, tendo o Padre Ovídio Andrade como celebrante.

E no dia 8 de setembro, o Conselho Diocesano de Leigos proporcionou um momento de reflexão no Módulo da Comunidade Hoddie, às 15h00, no XXXII Hallel. Na reflexão, reportou-se o tema e o lema do Grito dos Excluídos de 2019, sobre de que todos os cristãos, principalmente, leigos e leigas, busquem viver o Evangelho na busca da realização do amor caridade e solidariedade na luta por justiça e direitos, principalmente, dos irmãos mais pobres, necessitados, excluídos e oprimidos da sociedade. Enfocou-se a leitura do Livro do Êxodo, capítulo 3, versículos 16 a 22, para depois mencionar as diretrizes para formação e atuação do laicato para o quadriênio de 2019 a 2023.

Na abordagem dos princípios e diretrizes do CNLB (Conselho Nacional do Laicato do Brasil), mencionou sobre a dimensão sócio ambiental da fé (cuidar da vida pela participação nas Pastorais Sociais; participar, retomar e ampliar as Escolas de Fé e Política, que o CDL de Franca tem como projeto para a diocese; proporcionar formações sobre a Doutrina Social da Igreja; impulsionar mecanismos de participação popular para fortalecimento da democratização do Estado através de controle social e gestão participativa; investir na formação de capacitação e participação dos leigos e leigas nas políticas públicas para se viver a cidadania; promover a proteção de todos os biomas brasileiros - Amazônia, Pantanal, Cerrado, Mata Atlântica, Pampas e Caatinga; participar e promover o Sínodo da Amazônia em reforço ao Papa Francisco de cuidar da maior floresta do mundo; e promover a ecologia integral e conversão ecológica), sobre a dimensão da formação do laicato (assumir a formação dos leigos e leigas, proporcionando nos Cursos de Teologia para Leigos a disciplina e conteúdo da Teologia do Laicato, a partir do Vaticano II, o que CDL Franca vai apresentar na Assembleia Diocesana no Plano de Ação Diocesana; e incentivar a criação de um Plano de Ação para Formação conforme Documento nº 105 da CNBB, a fim de os leigos assumirem sua missão no mundo); e sobre a dimensão da juventude (reconhecer e potencializar o protagonismo da juventude, incentivando jovens a participarem na organização do CNLB e espaços de encontros de articulação junto com o Setor da Juventude Nacional e Diocesana e com a Pastoral da Juventude). No final da reflexão, todos participaram da Oração do Ano Nacional do Laicato.

E por fim, é fundamental que todos os cristãos leigos e leigas se comprometam mais na responsabilidade do ser e do agir da Igreja como corresponsáveis juntos aos ordenados (bispos, padres e diáconos) e com os religiosos e religiosas consagrados, de fazer acontecer o Reino de Deus no mundo, ou seja, ser “a Igreja em saída” tão impulsionada pelo Papa Francisco, de ir ao encontro das pessoas, principalmente, dos irmãos excluídos da nossa sociedade.


Páginas:

1