Franca, 19 de Janeiro de 2018

Diocese de Franca

CNBB - Regional Sul 1

29/12/2017 - Mensagem para o Ano Novo: 2018



Celebramos a liturgia do Ano Novo: olhando para Maria, acolhendo a paz e como herdeiros da bênção.
1 - Olhando para Maria: pois é a solenidade da Santa Mãe de Deus, na oitava do Natal. É uma das festas mais bonitas e mais profundas de Nossa Senhora: Maria, Mãe de Deus, é o primeiro dogma mariano e que ilumina os demais. 
Maria é a mãe de Jesus, como homem e como Deus. Ela concebeu por ação do Espírito Santo, mas experimentou uma gravidez humana normal. Maria é a filha predileta e escolhida por Deus. Deixou-se conduzir por sua unção.
Maria é também nossa mãe. Como a João aos pés da cruz, Jesus nos olha com compaixão e nos diz: “Eis aí tua mãe”. Como João, nós a levamos para a casa do nosso coração. E isto faz bem, com certeza.
2 – Acolhendo a paz: hoje é o seu dia.
Jesus é apresentado como o “príncipe da paz”. Seu nascimento trouxe a paz (cf. Lc 2,14). Pregou que são felizes e serão chamados filhos de Deus os que promovem a paz (cf. Mt 5,9). A paz nasce da certeza de sermos amados por Deus. É a paz interior que ninguém pode tirar.
3 – “Herdeiros da Bênção”: Missa do Ano Novo.
A liturgia de hoje trata da bênção: presente no Livro dos Números 6,22-27, conhecida como a bênção sacerdotal de Aarão; e no salmo 66: “Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós!” (Sl 66,1). Deus é aquele que abençoa, guarda, protege, conduz, faz brilhar a sua face, mostra-se sorridente, revela-se compassivo, volta para o povo o seu rosto, olha com bondade e concede a paz.
4 – O que desejo a vocês para 2018?
a) Que cada um sinta a presença materna de Maria, que nos dá colo, nos consola, nos protege. Quem acolhe Maria, acolhe a maior bênção, que é Jesus. Acolhe a Igreja e se deixa guiar por ela.
b) Que cada um experimente a paz que só Jesus pode oferecer. Desejo que cada um seja promotor e instrumento da paz. Sinais da paz: o amor, o perdão, a paciência, a tolerância, a união, a justiça, a verdade, a esperança, a alegria. 
A não-violência é o caminho para a paz, nos diz o Papa Francisco.
c) Que cada um seja herdeiro da bênção.
Esta é a nossa vocação: como pessoas, filhos (as), esposos (as), pais e mães, profissionais, alunos (as), amigos, cidadãos, cristãos, católicos.
5 – Seguir o caminho: de filhos de Maria, de herdeiros e promotores da paz e da bênção. Somos capazes de construir e decidir o que vamos ser e seguir metas claras, de fazer boas escolhas, de tomar decisões e dar sentido às coisas. Somos capazes de reconhecer os nossos limites, mas não desistir do bem e da verdade. Somos capazes de ordenar tudo para o amor, pois esta é a vontade de Deus a nosso respeito.
O segredo do bem viver é acolher o mistério que é nossa vida, sem medo, com total confiança, pois tudo está nas mãos de Deus. É saber tomar decisões conscientes, ter metas e objetivos, superar a irritação e a ansiedade, a intolerância e viver o amor. Não ser escravo dos conflitos. Não desistir das pessoas. Enfrentar com dignidade os desafios, as dores, as dificuldades, as angústias e pensamentos negativos. É preciso cultivar bons pensamentos e saber administrar as emoções e registrar coisas positivas.
É preciso ter tempo para contemplar as coisas boas e o belo. Ser criativo, superando a rotina. É saber descansar, ter um sono restaurador. Cuidar da saúde. Saber ouvir e cultivar a arte de dialogar.
A vida é a maior empresa que temos: precisamos evitar que ela vá à falência. É nossa responsabilidade protege-la
Ser amigo de Deus e agradecê-lo cada manhã pelo milagre da vida. Vale a pena viver apesar de todos os desafios, crises e dificuldades. Apesar de nossas falhas, defeitos e fragilidades, a vida é um bem maior, um presente que Deus nos deu.
 
 
Dom Paulo Roberto Beloto, 
Bispo Diocesano.