Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora

No dia 08 de dezembro celebra-se a Solenidade da Imaculada Conceição da Santíssima Virgem Maria em todo o mundo católico, dentro do tempo do Advento. E neste Domingo, dentro do calendário litúrgico, nós estaríamos celebrando o segundo Domingo do Advento, mas neste ano, de forma especialíssima, coincidiu que o 08 de dezembro cai no Domingo, nos permitindo assim celebrar esta Solenidade. Isso para nós é uma alegria muito grande, porque se faz muito significativo para nós preparar o Natal do Senhor, celebrando esta solene Liturgia de um tão grande Mistério.

Mas, muito mais do que celebrar a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, é necessário ter claro o que de fato estamos celebrando. Antes de mais nada, estamos celebrando um Dogma de Fé, que foi proclamado pelo Papa Pio IX no dia 08 de dezembro de 1854. A Igreja declarou, que de fato a Virgem Maria é Imaculada.

Para melhor entendermos, subscrevemos a seguir a definição deste Dogma, inscrito na Bula Ineffabilis Deus. Assim o Papa se expressou:

“Em honra da santa e indivisa Trindade, para decoro e ornamento da Virgem Mãe de Deus, para exaltação da fé católica, e para incremento da religião cristã, com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo, dos bem-aventurados Apóstolos Pedro e Paulo, e com a nossa, declaramos, pronunciamos e definimos a doutrina que sustenta que a beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, por singular graça e privilégio de Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, essa doutrina foi revelada por Deus e, portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis.”

Maria Santíssima foi concebida no ventre de Santa Ana exatamente como todas as outras crianças, ou seja, foi necessário que houvesse uma relação carnal entre seus pais São Joaquim e Santa Ana, porém, por singular Graça e Privilégio da parte de Deus Onipotente, no exato instante de sua concepção, Maria foi totalmente preservada e imune de toda mancha da culpa original.

Dizer que a Virgem Maria não teve a mancha do pecado original, é reconhecer que nela existe uma inigualável plenitude de graça, que em sua vida, foi manifestada de forma mais relevante em três estágios específicos. Primeiro, no momento de sua própria concepção, no ventre de Santa Ana. Segundo, no momento em que ela concebe em seu próprio seio, Nosso Senhor Jesus Cristo. E em terceiro, no momento em que, em corpo e alma, Maria é Assunta ao céu.

Neste domingo, pois, celebramos este primeiro estágio, ou seja, a sua concepção imaculada. Isso significa que Maria recebeu uma graça maior da parte de Deus, que supera todo o montante de graças que Deus já concedeu a todos os anjos, santos, do presente, do passado e do futuro.

Celebremos com muita fé, alegria e imensa devoção esta Verdade de Fé, porque Deus realizou esta grande maravilha na vida de Maria para favorecer a cada um de nós, porque nós somos os que foram salvos pelo sacrifício de Jesus, que somente poderia ser gerado num ventre puro e imaculado como o de Maria.

PASCOM – Sé Catedral